sexta-feira, maio 6

O Nó no Lençol

.

  Numa reunião de pais numa escola, a professora ressalvava o apoio que os pais devem dar aos filhos e pedia-lhes que se mostrassem presentes, o máximo possível...   Considerava que, embora a maioria dos pais e mães trabalhasse fora, deveriam arranjar tempo para se dedicar às crianças. 
  Mas a professora ficou surpreendida quando um pai se levantou e explicou, humildemente, que não tinha tempo de falar com o filho nem de vê-lo durante a semana, porque quando ele saía para trabalhar era muito cedo e o filho ainda estava a dormir e quando regressava do trabalho era muito tarde e o filho já dormia.
  Explicou, ainda, que tinha de trabalhar tanto para garantir o sustento da família, mas também contou que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava compensá-lo indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa. 
  Mas, para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia religiosamente todas as noites quando ia beijá-lo.  
Quando o filho acordava e via o nó, sabia logo, que o pai tinha estado ali e o tinha beijado.  
O nó era o meio de comunicação entre eles. 
  A professora emocionou-se com aquela história e ficou surpreendida quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola. 
  Este facto, faz-nos reflectir sobre as muitas maneiras de as pessoas se mostrarem presentes, e de comunicarem com os outros.  
Aquele pai encontrou a sua, que era simples mas eficiente. 
  E o mais importante é que o filho percebia, através do nó, o que o pai estava a dizer.  
Simples gestos, como um beijo e um nó na ponta do lençol, valiam, para aquele filho, muito mais do que presentes ou a presença indiferente de outros pais. 
  É por essa razão que um beijo cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, ou o medo do escuro.
  É importante que nos preocupemos com os outros, mas é também importante que os outros o saibam e que o sintam. 
  As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas sabem reconhecer um gesto de amor. 
  Mesmo que esse gesto seja apenas e só, um nó num lençol...

3 comentários:

  1. Por gentileza, se puder, me "persiga".
    Hiper abraço,
    João.
    www.ludugero.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Querida estou pela primeira vez em seu blog..
    Suas postagens são excelentes e seu blog lindo e bem cuidado.
    Tomei a liberdade de entrar seguindo seu blog.
    Com muito carinho convido a conhecer e gostando seguir meu blog.
    E com muito carinho que meu blog recebera sua visita.
    Caso for de seu agrado pode trazer o link.
    beijos no corção ,Evanir.
    Brasil de coração te aguarda.

    www.aviagem1.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Já conhecia esta história! Sempre achei linda, muito linda e carinhosa.
    Exemplo para muitos pais.
    Beijos.

    ResponderEliminar

Amo quem chega trazendo Carinho, Sorrisos, Alegria e Paz para a nossa Vida.