sexta-feira, outubro 4


Penso muita vez como deve ser complicado para uma  mãe ou um pai que esteja a passar por uma doença grave  ter que explicar aos filhos ainda pequenos o que se passa,porque vão tantas vezes ao hospital
 ou por exemplo porque não têm cabelo.
Eu tive cancro mas não passei por isso porque já tinha filhos adultos e sabiam bem do que se tratava,tinham assistido à doença dos avôs que faleceram os dois com cancro,primeiro o meu pai com cancro de pele e nove meses depois o meu sogro com cancro de estômago.

Quando eu fiquei doente o meu neto era muito pequenino e não se apercebeu de nada do que se passou comigo,nunca me viu naqueles dias a seguir aos tratamentos,nem sem cabelo,pedi sempre ao meu filho para me avisar quando o menino vinha cá a casa para eu me arranjar e meter a peruca.

Quando o Rafael tinha quase 5 anos viu-me despida na casa de banho e perguntou-me porque é que eu tinha uma maminha diferente,nessa altura disse-lhe que tinha tido um doi-doi e pronto ficou por ali ,nunca mais fez pergunta nenhuma.

Agora tem quase 8 anos !
Ontem fui tomar um duche ,quando me estava a vestir ele foi ter comigo ,olhou para mim e voltou a fazer a mesma pergunta.
Avó porque é que tens uma maminha diferente da outra,uma está mais para dentro que a outra.
(Tenho a mama mais pequena e falta o mamilo e a aureola)
Voltei a explicar que tinha tido um doi-doi,mas desta vez já não o convenci só assim.
Mas que doi-doi?
Cortaste-te ?
Não Rafael ,a mama doia ,e a avó teve que ser operada e tiveram que tirar um bocadinho.
Mas  e foi preciso a mama ficar assim só por teres uma dor?
Lá expliquei que doia porque tinha  um carocinho e que teve de ser tirado.
Avó era uma bolinha?
Sim Rafael era isso mesmo.
Começou a apalpar a dele e disse-me ,mas eu também tenho uma bolinha aqui ,lá lhe expliquei que aquela bolinha que ele tinha era normal,(era o mamilo),eu também tinha na outra mama e estava boa.
Estava a ver que não lhe conseguia explicar o que tinha tido,voltei a dizer que era uma bolinha,tipo uma borbulha,mas que estava dentro da mama e como não a conseguia ver nem tratar tiveram que a tirar para ser tratada e por isso a mama ficou assim. Áh tá bem disse ele e saiu do quarto e não voltou a tocar no assunto.

Talvez  um dia volte a perguntar o que aconteceu.
Espero que já seja mais crescidinho para eu poder dizer a verdade,porque agora não sei como se explica.

Claro que eu já podia ter feito a reconstrução,o medico queria me fazer a redução da outra mama e colocar o mamilo na outra e tatuar a aureola,mas como estou tão farta de hospitais e blocos operatórios nunca quis fazer,talvez se tivesse ficado sem a mama tivesse feito a reconstrução,assim não me incomoda nada,consigo  para o espelho como se tivesse tudo normal .

5 comentários:

  1. Podias ter dito que a avó tem aquele doi doi porque é muito valente e corajosa :)

    Realmente o tema do teu post também me deixa a pensar muito. No meu caso só tenho 3 cicatrizes (de 2 biópsias e do cateter) e as minhas pequenas gostam de por lá a mão e perguntar o que é aquilo).

    Para já é só um doi doi. quando forem mais crescidas saberão tudo. beijinhos Natália

    ResponderEliminar
  2. Olá Susana.
    Se formos falar em valentia e coragem tu não te ficas atrás.
    Admiro-te muito e gosto muito de ti.
    Beijinhos e tudo de bom para ti e para as tuas meninas lindas.


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Natália.
    Realmente é muito difícil,A minha filha sempre deste pequenina convive com a minha doença,aos poucos ela foi compreendendo.
    Você é uma vencedora,o dia poderá contar a ele a sus historia e ainda vai servi-lo com uma grande lição de superação.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Assim espero Mirtes,ainda quero conhecer os bisnetos rssss.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  5. És uma querida Natália. Também gosto muito de ti. Beijinhos

    ResponderEliminar

Amo quem chega trazendo Carinho, Sorrisos, Alegria e Paz para a nossa Vida.