quarta-feira, junho 25

                               AMORAS DA VIDA
Parece-me que a vida
É como apanhar as amoras silvestres da minha infância

Abro em mim
A imagem da recordação
Para verificar
Se sim ou não
Tem sentido
Uma tal comparação

Vejo-me, menina
Lá vou eu
De pé descalço
Devagarinho
Pé ante pé
A fazer de conta
Que não sinto
O picar das silvas
As minhas mãos
A ziguezaguear entre os picos
Como se estes fossem de algodão
Tal é a obsessão
Do gosto da amora madura
A derreter-se na minha boca

Afinal tem sentido sim...
Diria mesmo que a vida é uma silva cheia de amoras!


(Carmen Cupido in "Corpo do Poema)

9 comentários:

  1. Adorei este poema quer por todo o sentido que eu acho que tem, bem como me revejo nele quando menina!
    Para conseguirmos colher o melhor da vida por vezes temos de ignorar ou não dar muito importância aos espinhos.
    Beijinhos Natália

    ResponderEliminar
  2. Lindo poema.Bela inspiração da autora e tua escolha bem feliz! beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Natália.
    Na vida temos que ignorar as coisas ruins e valorizar as boas, um lindo poema, excelente escolha. Como está seu filho? espero que já esteja curado.
    Um lindo dia.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Olá Natália
    Com essas amoras lindas,apetitosas e com sabor de infância creio que a vida fica saudável e alegre.
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Olá Natália, também adorei o poema (não conhecia) e fez-me lembrar a minha meninice. As amoras ainda hoje são para mim uma gulodice natural, mas quando criança lembro-me ir para qualquer silvado apanhar amoras, lavá-las e numa malga adicionava açúcar e assim fazia uma deliciosa sobremesa de amoras!
    E conhece aquela brincadeira dos tempos de infância em que se perguntava:

    - Gostas de amoras?
    - Gosto!
    - Então, vou dizer ao teu pai que já namoras.

    ResponderEliminar
  6. Olá Natalia, um poema lindo e as amoras...Quem não tem saudades delas assim! E a vida é mesmo "uma silva cheia de amoras"! Bem escolhido o poema para ilustrar a linda foto!
    Um beijinho.
    (Estive ontem no Santuário e senti-me tão bem;))

    ResponderEliminar
  7. Lindo o poema , lembrança da infância que pelo visto foi bem aproveitada.
    Deixo meu carinho e paz.
    http://reginaladydapaz.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Lindas amoras que alimentam as lembranças e inspiram um belo poema Natália.
    Viva a poesia com toda esta magia.
    Meu terno abraço e boa semana querida amiga.

    ResponderEliminar

Amo quem chega trazendo Carinho, Sorrisos, Alegria e Paz para a nossa Vida.